Look at the time...

sábado, 27 de junho de 2009

A morte de Michael Jackson


Michael Jackson morreu. Não é nenhuma novidade o que aqui escrevo, é certo, mas só queria dar um pouco da minha opinião. Se há coisa que me faz encaracolar os dedos, é a hipocrisia das pessoas, mais ainda por parte da comunicação social. Os mesmos que agora clamam por uma divindade, um ícone, o "Rei" da pop, foram os mesmos que há tempos atrás o julgaram como pedófilo sem ser necessário esperar a conclusão do processo, e é isso que me irrita tremendamente.
Hoje choram, quando há tempos "mandavam" pedras...

É certo que gostos são gostos e não se discutem. Para muitos, é uma perda tremenda, para outros, não aquece nem arrefece, (tal como o Marco) e para outros ele nem sequer morreu pois isto não passa duma mentira para vender, vender. O que é certo é que os albúns dele subiram em flecha no mercado mundial. Para quem acredita nas teorias da conspiração, há muito mito para construir...

Para mim, o rapaz foi um artista que se veio a perder devido às suas excentricidades. Foi pena, o rapaz a dançar, enchia o olho.



- BL

domingo, 21 de junho de 2009

Rescaldo do concerto da Mariza

Ontem à noite, depois de alguma indecisão, lá partimos para Cascais para ir assistir ao concerto que a Mariza deu, tal como vos havia avisado neste post.

Foi uma aventura arranjar lugar para o carro, só quase ao pé das Fontaínhas é que arranjámos um buraquito para estacionar, mas a maior aventura foi o caminho até ao Cascais Villa, e foi ainda pior o regresso, pois subir com o carro do A. com o D. lá pendurado calçando apenas umas míseras havaianas. As calçadas são muito giras mas pouco piada tiveram ontem.

Enfim, sempre deu para fazer um belo dum exercício! ;)

Quanto ao concerto, o fado perde-se muito em ambientes fora de quatro paredes…, o que não aconteceu em Mafra quando a vimos pela primeira vez. Tirando esse facto, foi um bom concerto, apesar de estar com mais olhos em cima do D. do que na Mariza. Estava uma bela noite, não estava muita confusão no sítio onde ficámos e víamos o concerto por um dos écrans que colocaram para esse fim.

A meio do concerto, o sr. A., que estava a dormir até então, deu ar da sua graça e abriu a goela para pedir comida. Então, foi ver a R. sentada no patim do carro de bebé a dar de mamar a sua excelência, enquanto que o sr. D. já agarrado a uma espada de luz (que a sua Avó fez questão de lhe comprar face a uma carinha tão chantageante por parte do seu neto) fazia-me a cabeça em água pois não parava de andar de um lado para o outro, o que é perfeitamente normal.

Por volta da meia-noite, já a Mariza ia num segundo encore e nós decidimo-nos pôr a caminho por causa da confusão de pessoal que iria decorrer quando o concerto terminasse. A subida até às Fontaínhas foi demais… era o escorregar, era o D. a fazer força mais para um dos lados… enfim, mas foi engraçado e divertido e fartámo-nos do rir com as minhas (quase) quedas. :)

- BL

sábado, 20 de junho de 2009

Mariza, hoje em Cascais

MARIZA_NET copy

Carreguem no cartaz para mais info… mas é hoje, às 22h na Baía de Cascais.

- BL

sexta-feira, 19 de junho de 2009

Os Contemporâneos Temporada 3 Episódio 6

Julgavam que me esquecia? Naaa... aqui têm os links.
1ª parte, 2ª parte

- BL

quinta-feira, 11 de junho de 2009

Castelo de Vide – 7º dia

E pronto, chegámos ao último dia destas mini-férias. Hoje, andámos só por Castelo de Vide à procura de produtos da região para levar para casa e também para dar um salto à Srª da Penha.

Fui arrumar a tralha toda no carro e lá fomos passear. A primeira loja onde entrámos foi de velharias e a R. comprou duas molduras e um copo que lhe faltava no serviço da Avó dela. A loja seguinte foi uma pastelaria onde comprámos queijinhos de amêndoa, queijadas de laranja, queijadas de amêndoa e beleimas. Destes todos, as beleimas são as mais “regionais”, com recheio de maçã, canela e noz. Como o talho e a padaria estavam fechados, devido ao feriado, tivémos que ir ao supermercado comprar farinheiras (montanheiras), biscoitos escaldados em azeite, vinho tinto (Conventual) e branco (Terras d’Ervideira).

MegaSopaPeixe09Chegada a hora de almoço, e apesar do convite para a Mega Sopa de Peixe , fomos ao restaurante Pedrus Quintus, que já nos tinha sido referenciado por um primo da R., mas tivémos que ficar à espera… e ainda apanhámos um grupo de 9 pessoas que se armaram em espertas para nos passarem à frente… e o pior é que conseguiram. Não há respeito nenhum por ninguém, é impressionante. Querem saber como se faz? É fácil, basta uma dessas pessoas conhecer alguém relacionado com o dono do restaurante, ter o telefone do restaurante e reservar a mesa para 9 pessoas, passando à frente de 3 casais, com crianças! As restantes pessoas pareceu-me serem de Braga, portanto trata-se de um caso de esperteza nortenha, aliada ao factor C, que é a chave-mestra para tantas portas portuguesas. De qualquer maneira, saímo-nos melhor, pois como tinhamos acesso à ementa, assim que chegámos à mesa fizémos o nosso pedido e fomos servidos muito antes do grupinho da esperteza. A comida era boa, e as sobremesas ainda melhores! Eu optei por uma encharcada de noz e a R. foi para uma fatia de teco-maleco (acho que é assim que se escreve). O D. foi o mais saudável de todos e comeu uma banana.

Acabámos de almoçar e fomos à Srª da Penha, CV-CastelodeVide1 de onde se obtém uma vista sobre toda a vila de Castelo de Vide. Como estava muito calor, a bicheza era tal que tivémos que vir embora pois estávamos a ser agredidos por uns insectos voadores.

CV-CastelodeVide3

Já eram 17:10 e decidimos voltar à nossa terrinha. Chegámos eram 19:15, duma viagem que correu sempre bem, sem qualquer tipo de stress ou palhaçadas de condução.

CV-CastelodeVide2Destas férias, o ponto mais alto foi a visita a Mérida, cidade que ficou com um V de voltar brevemente. O ponto mais negativo foi o nosso filhote ter ficado doente, mas felizmente recuperou rapidamente. Quanto ao Inatel, adorámos o atendimento, a comida e a vista e esperamos passar alguns fins de semana por lá.

- BL

quarta-feira, 10 de junho de 2009

Castelo de Vide – 6º dia (Cáceres)

E de novo em Espanha, é verdade. Desta vez, o alvo foi a cidade de Cáceres. Era suposto darmos um saltinho a Trujillo, mas fica para uma próxima vez.

A estrada até Cáceres faz-se muito bem, apesar de ser uma estrada nacional (N-521). A paisagem é um pouco diferente do nosso Alto Alentejo. Ao principio parece ser mais verdejante, mas só até Valência de Alcantara, a partir daqui pareceu-nos mais desertificado do que, por exemplo, de Portalegre a Elvas.

CV-Caceres1 Cáceres tem uma coisa porreira, o conjunto monumental está todo reunido numa espécie de elipse formada por vários torreões e suas muralhas. Só conseguimos visitar a Casa de Las Veletas, que é o Museu da cidade de Cáceres, (onde a entrada é gratuita para membros da U.E.). Aqui passamos por várias salas, divididas por 3 andares, onde no primeiro andar as salas são dedicadas a várias épocas, desde o paleolítico, Idade do Cobre, Bronze e Ferro até à época romana. No segundo andar, a exposição é dedicada à organização económica, ofícios, indumentária, crenças e música. CV-Caceres2 Na cave, só existem duas salas, uma dedicada à época visigótica e outra à idade média. Por baixo do museu, existe uma cisterna arabesca, pois os muçulmanos estiveram nesta cidade entre os séculos IX e XI, se não estou em erro.

Saímos do museu e fomos almoçar a uma esplanada ao pé de uma igreja, na baixa da cidade.

Uma vez que tudo fecha por causa da siesta, démos uma volta por este conjunto onde passámos pela Concatedral de Santa Maria, Iglesia de San Pedro, Convento de San Pablo, e vários torreões.

Sinceramente, é a única parte que nos levou a visitar a cidade, o resto… não interessa muito.

CV-Caceres3Ainda aproveitámos para fazer umas compritas, meter gasóleo a 0,817€ e seguimos viagem. Pelo caminho passámos por Valência de Alcantara que tivémos pena em não parar, mas o tempo é curto e lá fomos para Castelo de Vide.

- BL

terça-feira, 9 de junho de 2009

Castelo de Vide – 5º dia (Badajoz)

Não foi à primeira, foi à segunda, e assim decidimos hoje ir a Badajoz. O D. passou a noite com 5* e sem qualquer pontada de febre, e então tomámos a decisão de ir aos caramelos.

Da última vez que lá fomos, achei que Badajoz era uma cidade a não voltar, mas desta vez temo que a minha conclusão anterior teria sido precipitada pois a cidade está mais limpa, mais arranjada e com menos obras. O único problema é a siesta, é que a partir das 14:00 (deles) e a até às 17:00 está tudo fechado, sejam lojas, sejam museos, sejam monumentos de qualquer tipo ou espécie e então a pessoa tem que andar a inventar o que fazer durante estas 3 horas. (As grande superficies não se encontram fechadas… mas quem é que quer passar 3 horas enfiado num “El Corte Inglés” ou coisa que o valha?)

Quando chegámos, descemos a Calle Menacho que é praticamente a grande rua de comércio que esta cidade tem. Entrámos numa ou outra loja e depois seguimos rua acima até encontrar o Convento de Las Descalzas, CV-Badajoz1 onde entrei com o D. enquanto que a R. dava de mamar ao A.. Daqui subimos mais um pouco e fomos à procura de um restaurante. Ao subir uma dessas ruas démos de frente com a Catedral que estava fechada. No turismo, disseram-nos que a única maneira de ver a catedral seria pelo museu onde se pagam 3€. Os restantes museus são gratuitos! De volta à missão almoço, encontrámos um restaurante de “Cocina Portuguesa” e optámos por ficar por ali mesmo, mas… no final achámos que eles precisavam de entender melhor qual o significado de cozinha portuguesa. O caldo verde pouco verde tinha, e que saiba fillet-mignon de frango não é muito português, digo eu, mas tudo bem, não se come mal e não se paga muito. Os três pagámos 17,50€.

Uma vez na siesta time fomos dar uma volta pela cidade. CV-Badajoz2Em todo o lado vêem-se cartazes com indicação do Casco Antiguo que é apenas um centro comercial aberto, na baixa da cidade. (aberto é como quem diz, porque das 14:00 às 17:00 está quase tudo fechado) Continuámos a subir a calle San Pedro de Alcantara e chegámos ao Alcazaba que tem à sua direita a Plaza Alta, com um colorido engraçado. Mais abaixo, encontrámos uma igreja branca de que agora não me recordo o nome. Como a partir daqui as ruas não eram muito convidativas, achámos melhor dar a volta e ir lanchar. CV-Badajoz3

A seguir ao lanche, fomos dar mais umas voltinhas pela tal Calle Menacho e comprámos umas coisitas, entre elas uma caixa de Ibuprofeno 600mg para a minha garganta que está que é uma maravilha…

CV-Badajoz4Saímos de Badajoz eram 18:30 e chegámos aqui às 19:45. A paisagem desde Elvas até Portalegre, passando por Campo Maior, é espectacular, e desta vez tirei algumas chapas.

- BL

segunda-feira, 8 de junho de 2009

Castelo de Vide – 4º dia

Com que então eram caramelos e mais não sei o quê, não era? Pois bem, que tal trocar isso por uma noite em branco devido a má disposição minha e do D.? Que tal andar às 5 e tal da manhã nas ruas de Castelo de Vide (com um grizo porreiro) à procura duma farmácia de serviço? E após isto tudo, passar 4 horas e meia no Hospital Distrital de Portalegre, sem saber se o D. ficaria internado ou se o deixavam voltar connosco?

É verdade, foi uma noite e dia bastante complicados. O problema não foi o não dormir, foi mesmo saber o que se passava com o nosso filhote que passou a noite a queixar-se da barriga, com febres altas e a contorcer-se com dores. Hoje de manhã, após ligarmos novamente para a Linha Saúde (que desde já agradeço a sua existência) lá fomos encaminhados para o Hospital Distrital de Portalegre onde o D. fez análises ao sangue e urina, assim como um raio-x para ver se detectavam onde estava a causa de febres tão altas. Fiquei realmente preocupado quando a R. me disse que não o iriam deixar sair sem que soubessem a casa ou sem que a febre baixasse.

De todas as análises, a única coisa que se concluiu era que seria algo relacionado com as vias respiratórias, alguma infecção. Às 14:45 o D. estava finalmente a combater a febre e deram luz verde para ele seguir viagem, com um anti-biótico no bolso e Brufen para a febre.

Aqui chegados só deu para nos agarrarmos a um cházinho e torradas como lanche, mas vingámo-nos no jantar que estava bom. As sopas daqui são bestiais! Hoje, fomos premiados com sopa de ervilha, e há que tempos que não comíamos esta delicia.

O D. está agora aqui comigo, mais para lá do que para cá, mas felizmente a febre tem andado mais controlada, o máximo que teve hoje à tarde foi 38,5º, e da última vez que medimos antes da nova toma de medicamento, era de 37,5º. Agora vamos ver como decorre a noite.

Quanto a saídas… estamos limitados à condição do D. e de que forma ele vai reagir à medicação.

- BL

domingo, 7 de junho de 2009

Castelo de Vide – 3º dia (Marvão)

CV-Marvão1Hoje preferimos passear aqui pelos arredores. Aproveitámos e fomos a Marvão pois soube que havia por lá a I feira de antiguidades e velharias. Digamos que … não valeu a pena. Até havia meia-dúzia de coisas que eram de levar para casa, o problema era o que pediam por elas. Um ultraje!

Enfim, démos uma voltinha pela vila e depará-mo-nos com muitas casas à venda, mesmo dentro das muralhas do castelo. CV-Marvão2 Já conhecíamos o sitio e então optámos por sair e ir dar uma volta a Valência de Alcantara só para fazer tempo para irmos almoçar. Atravessámos a fronteira em Galegos que parecia uma aldeia-fantasma. Valência é uma terra que fica marcada para visitar, pois na altura em que passámos não foi possível, devido à hora da siesta.

Voltámos a Portugal e fomos almoçar ao restaurante Mil Homens, em Portagem, onde comemos que nos fartámos, do bom e do belo.

CV-Marvão3A seguir ao almoço, estava numa de ir visitar a cidade de Ammaia, mas acabámos por ir dar uma volta à procura de uma cache que tinha apanhado na net, mas feito parvo, não levei indicação alguma e andámos às voltas e mais voltas à procura do Menir de Póvoa e Meadas que acabámos por encontrar a meio da tarde! :D

Daqui, voltámos a Castelo de Vide, onde o D. esteve numa de seguir uma CV-Marvão4procissão. Nestes dias, 5,6 e 7 de Junho eles festejam a Nossa Senhora da Alegria, e hoje teve lugar a procissão que leva a imagem desde a vila até uma Igreja no Castelo. O D. adorou a procissão, mas sobretudo da banda que a acompanhava. Reparem no cartaz das festividades e digam lá se não é um grande chamariz?

No final, démos uma voltita pelo castelo e descemos até à vila numa de passeio. Foi engraçado.

Amanhã vamos a Badajoz. Fazer o quê, perguntam vocês? Comprar caramelos! :D

- BL

sábado, 6 de junho de 2009

Castelo de Vide – 2º dia (Mérida)

Apesar de nos termos levantado mais cedo, acabámos por nos atrasarmos um pouco. Ainda não tínhamos decidido o que fazer hoje, mas estava inclinado para ir a Mérida, e assim foi. Partimos às 10:30 e chegámos por volta do meio-dia. A viagem de Castelo de Vide até Elvas foi feita sempre por estrada nacional e foi de facto o melhor da viagem (de carro, claro) pois a paisagem é muito gira, o contraste entre verdes e amarelos, os campos agrícolas a perder de vista, os animais, e além de tudo isto, a estrada faz-se muito bem. São rectas a perder de vista!

CV-Mérida1Quanto a Mérida, assim que chegámos desatou a chover … mas fomos almoçar e por sorte ficámos mesmo no centro turístico da cidade. Após o repasto, démos uma volta até à Plaza de España, debaixo de trovoada mas sem chuva, valha-nos isso. Subimos desde a praça até à rua que dá acesso ao Museo Nacional de Arte Romano. Pelo caminho, passámos pelo Templo de Diana e pelo Forum. São áreas que estão ainda em processo de restauro para que possam ser visitadas, aliás, não CV-Mérida3foram as primeiras escavações que vimos na cidade. O pessoal dali arrisca-se a fazer um buraco e achar uma calçada, um pórtico, etc. :)

Chegados ao museu, tivémos que ficar à espera uns minutinhos pela sua abertura, que quando aconteceu foi ver um bando de bestas direitos aos curros… não há respeito por ninguém, é impressionante! Apanhámos uma excursão, onde estavam incluídos alguns portugueses que se iam metendo com o D. e com o A.

CV-Mérida2O Museu é muito interessante, e aconselho a visitar. O edificio, só por si é espectacular, e a exposição que acolhe é a maior que alguma vez vi, em relação a arquitectura, cerâmica, mosaicos, artesanato, moedas e estatuária. CV-Mérida4 No salão principal, o visitante, depara-se com uns arcos semicirculares enormes, que têm a mesma altura que os arcos do aqueduto de Los Milagros, também ele obra romana. O museu é construído em tijolo vermelho e é composto por 3 andares, e várias salas. A escultura aqui ao lado é do Imperador Tibério. O edificio assenta numa cripta que também se pode visitar onde se pode ver mais algumas casas romanas que foram encontradas, assim como uma calçada que ligava Mérida a Córdoba.CV-Mérida6

Quando saímos do Museu já eram 17:10 e apesar de estarmos mesmo ali à porta do Teatro e Anfiteatro romano, sabíamos que não íriamos conseguir visitar tudo e optámos por ir até à Basilica de Santa Eulália, deixando os dois monumentos para uma segunda visita.

Lá chegados, verificámos que os bilhetes que dão acesso à Cripta da Basilica estão integrados num bilhete-conjunto que nos permite visitar vários monumentos da cidade. (10€/pessoa) Assim sendo, optámos por seguir viagem para Portugal, não sem antes passarmos de carro, pelos aquedutos de São Lázaro e de Los Milagros, pelo Circo romano e pela ponte Lusitânia. Não haja dúvida que é um sitio onde contamos voltar para prosseguir a visita.CV-Mérida7

Ainda chegámos a abastecer gasóleo, no Carrefour, que estava na marca dos 0,827€ e finalmente metemo-nos a caminho de Castelo de Vide.

- BL

sexta-feira, 5 de junho de 2009

Castelo de Vide – 1º dia

Após uma viagem de três horas, com duas paragens, chegámos a Castelo de Vide. Desta vez, vimos aproveitar umas fériazitas que consegui marcar com a ajuda dos feriados da próxima semana.

Apesar da chuva constante, não apanhámos muito trãnsito, e então quando saímos em Torres Novas quase não se viu vivalma.

O Inatel de Castelo de Vide situa-se num edificio antigo, decorado com mobília tipica da região. O quarto é bom, com uma varanda que tem uma excelente vista para a Senhora da Penha. CV-VistaDoQuarto

A comida… mmmm… só de pensar naquela farinheira enrolada em bacon, e o borreguito com batata aos quadrados… e o bolo de bolacha! E é assim que se ganham mais uns quilinhos. :)

Só é pena a chuva… a ver vamos como vai estar amanhã, mas a previsão não é animadora.

- BL

quinta-feira, 4 de junho de 2009

Adeus, gafanhoto

David Carradine foi encontrado morto num hotel em Bangkok. Sempre recordei este actor como um homem sereno e justo, muito devido à sua participação na série Kung Fu. Não sei se o seria assim na vida real, mas é assim que o vou continuar a recordar.


- BL

terça-feira, 2 de junho de 2009

Project Natal Xbox 360

Vejam… e já agora, ofereçam-me uma no Natal. :D

- BL

segunda-feira, 1 de junho de 2009

Feliz Dia da Criança

Antes que me esqueça, feliz dia para todas as Crianças do Mundo!! (eu, incluindo)



- BL

Os Contemporâneos Temporada 3 Episódio 5

Parece que ontem as audiências não estiveram de boa feição para os lados d'Os Contemporâneos. Infelizmente, não pude ver nessa altura, mas gravei e acabei de ver agora. Podem ver aqui.

Só uma dica, fiquei estupefacto com esta, acerca da evolução do Homem segundo Darwin: "então isso foi uma ganda tanga... então isso foi Adão e Eva, tiveram meninos e foram-se casando uns com outros, tiveram mais meninos e a partir daí é que nasce a evolução do Homem..."

- BL

Feira da Criança – Estoril

Este fim de semana, passámos as manhãs na FIARTIL, na Feira da Criança. O D. adorou e fartou-se de brincar, desenhar, correr e saltar duns stands para outros. CriancaCartaz

Infelizmente para uns, felizmente para outros, o evento está muitíssimo pouco divulgado o que para nós foi ideal para passarmos umas horas com relativa calma, sem andar ao molho como (infelizmente) acontece na Festa da Criança de Cascais.

Só espero que isto não passe dum evento único que ocorre de quatro em quatro anos, em tempos de eleições…

- BL